sábado, 15 de setembro de 2012

Que se lixe a troika

Eu não sei como é o resto da malta, mas quando vou jantar fora, se me esqueço de dinheiro e peço emprestado a um amigo, pago sempre a dívida. E dê por onde der, pago sempre a minha parte da conta (embora ultimamente já as verifique, não vão ter-nos espetado um Barca Velha). Quando vou ao supermercado pago tudo o que trago. Fico mesmo encravado se a rapariga da caixa (nunca vou a caixas de homens, acho que os emascula) repara que me esqueci de tirar alguma coisas do carro de compras. E, obviamente, pago pontualmente o empréstimo da casa.

É daquelas coisas, se calhar tive azar na forma como fui educado e sou assim um bocado para o otário. Nunca me passará pela cabeça desatar a insultar um amigo que me empreste dinheiro e ainda menos aqueles sempre prontos a ajudar. Também não é o meu género fugir a correr do restaurante ou do supermercado. Acho que o fiz quando era puto (mera suposição), mas foi daquelas tretas de adolescente em grupo e já não tenho idade para essas merdas. No caso da casa, estamos conversados. Dá-me jeito viver aqui, já cá tenho as minhas tralhas e aquela coisa da penhora é capaz de ser uma maçada.

Sou é gajo para azucrinar um amigo que me queira levar a um restaurante estupidamente caro. E, seja como for, se o jantar não estiver bom, falo com o responsável (que provavelmente não me volta a ver por lá). Para não perder tempo, vou a um supermercado que conheço bem e onde me conhecem (daqueles mais pequenos, tipo bairro, em que um tipo se está a aproximar da padaria e já estão com os dedos no ar a perguntar se são quatro bijous), que tem as tretas de que gosto e preços aceitáveis. Comprei a casa que queria, negociei com a construtora e escolhi o banco que me apresentou a melhor proposta.

Com isto tudo, acho que me dispersei. As manifestações contra a troika servem para quê? O governo também vai manifestar-se ou só vai a malta?

4 comentários:

Pedro disse...

Que as pessoas se manifestem,gritem, arrenquem os cabelos pela situação em que estamos e que a maioria não tem culpa nenhuma, muito bem está no seu direito de liberdade de expressão, mas que ponham o nome à manifestação de "que se lixe a troika" por amor da santa, perde toda a credibilidade cá dentro e lá fora. Vão-se lixar, assim não!

RCA disse...

Mas o nome todo é que diz tudo: "que se lixe a troika - queremos as nossas vidas de volta!".
Suponho que são aquelas vidas em que a malta gastava o dinheiro que tinha e o que não tinha.
Eu também gostava de ganhar o euromilhões... Enfim...

Maria D Roque disse...

Muita gente foi marcar posição pelo "estado a que isto chegou", sem concordar a 100% com o Manifesto. Sempre teve mais peso do que ir dar uma cacholada no Tamariz, numa tarde de calor... Afinal só em Lisboa foi cerca de meio milhão que deixou de ir à praia, e que provavelmente não deve nada a ninguém e está a ser constantemente roubado...

RCA disse...

Se anda por aí gente que não deve nada a ninguém, então é porque já anda a roubar :)