segunda-feira, 18 de março de 2013

Câmara de Setúbal quer polícias com “formação e perfil adequados” nos bairros sociais

In Público

E eu acho muito bem. Aliás, acho que toda a gente acha muito bem... Até começar a pensar, mas afinal o que é que eles querem dizer com formação e perfil adequado para trabalhar nos bairros sociais? Talvez a capacidade para aparentar medo enquanto se vai falando com os moradores, para eles se sentirem importantes e que "controlam", acompanhada do músculo para lhes partir o focinho, no caso de esticarem muito a corda. 

Um gajo que circulava de mota, sem capacete, entendeu por bem não parar numa operação stop e, não contente com isso, ainda se pôs em fuga por ruas em sentido proibido e desrespeitando semáforos. A polícia entendeu, e bem, que deveria averiguar porque raio o tipo não parou e perseguiu-o, até que este resolveu enfiar-se contra uma caixa da EDP e morrer. Se calhava de ter escapado, ia passar a noite toda a gabar-se, enquanto dava Hi5's aos amigos, como morreu, os mesmos amigos pegaram fogo ao bairro onde vivem.

Suponho que o grau de indignação popular depende de vários fatores, nomeadamente, se o tipo previamente tinha participado num assalto ou agredido alguém, se calhava de morrer num acidente ao passar num semáforo vermelho, se provocava mais mortos ou feridos, eventualmente entre os agentes que o perseguiam ou transeuntes inocentes e se, em vez de se despistar, era baleado pela polícia.

Efetivamente não tenho grande moral para o final esta história. Eu nunca ando de mota sem capacete e quando um polícia me mandar parar, paro. Quanto a ele, suponho que poderão dizer que nunca teve hipóteses e que a vida o levou até àquela hora, àquela caixa da EDP... Ou então não!

1 comentário:

Pedro disse...

É que as eleições estão à porta e todos os votos contam.