segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Mil voluntários ajudaram a limpar Silves

In Jornal de Notícias

Para quem esteve distraído, a semana passada aconteceu uma coisa inédita em Portugal. Pela primeira vez um responsável governamental visitou uma localidade afetada por uma catástrofe, no caso o ministro da administração interna e os estragos provocados pelo Tornado no Algarve, sem anunciar um apoio especial para a população. Nada de nada. Nem dinheiro para uma vassoura ou um balde e uma esfregona conseguiu disponibilizar. E se nestas alturas um político não consegue oferecer nada, nem a ajuda do exército, que também não deve ter dinheiro para o gasóleo ou para bilhetes de comboio (e o mais certo é a CP estar em greve), é porque a coisa está mesmo preta. Por mim, mais valia ter enviado o dinheiro que ele e a comitiva gastaram na deslocação, acompanhado por um cartãozinho a desejar as melhoras.

E é isto! Quando um gajo já está mesmo convencido que está mesmo tudo lixado e que o país já não tem conserto, eis senão quando, "mil desconhecidos oferecem-lhe flores".



2 comentários:

Sílvia disse...

E o MAI ficou para ajudar à limpeza ao menos?!

Maria D Roque disse...

É verdade... o senhor e os trezentos gajos da comitiva, podiam ter feito a diferença... limpar a imagem no meio de destroços...