segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Testes de compatibilidade de casais

Nunca consigo ler mais do que algumas linhas daqueles testes de compatibilidade entre casais, que aparecem nas revistas de gajas (eu sei, eu sei, se são revistas de gajas eu nem devia chegar perto, mas isso tem a ver com  a propensão para o risco, um gajo senta-se no sofá, elas estão ali à mão e quando dá por ela, já o mal está feito). Ao fim da terceira linha começo a emitir atestados de imbecilidade para todas as mulheres com mais de 15 anos que os leem. E, mesmo as menores de 15, só compreendo porque é gente em formação e aquilo aparece-lhes no meio da Ragazza, enquanto estão a aprender a "fazer" sobrancelhas... Agora uma mulher adulta? Está-se mesmo a ver que uma relação se pode resumir a meia dúzia de itens, não está? Começam a analisar comportamentos de forma descontextualizada e é óbvio que dá merda!

E o mais importante nunca virá numa revista, porque obviamente varia de pessoa para pessoa. Eu, por exemplo, quando comecei a sair com a Outra Metade, um domingo de manhã enviei-lhe um SMS que dizia "se um tipo está a tirar macacos do nariz e não lhe apetece levantar da cama para os deitar fora, o que é que faz?". Como na volta só veio um smile, tive imediatamente a certeza que era Game On.

3 comentários:

Sílvia disse...

Cola-os ao lençol?!

Ainda estou na dúvida se essa pergunta será melhor do que os testes da Bravo, mas acho que não vou pensar mais nisso!!

Maria D Roque disse...

Câ nojo... nem quero pensar na alternativa de não os deitar fora ...Antigamente não havia testes de compatibilidade, nem revistas cor de rosa. Escrevia-se o nome dum apaixonado num papel, que se punha debaixo da almofada na noite de Sto. António, queimava-se uma alcachofra e abria-se um ovo para dentro dum copo de água... se queres que te diga, nunca percebi as interpretações, mas não me correu mal... ;D

Ana sofia disse...

Isso é tão ridículo, esses testes. Cada casal é um casal, cada relação é uma relação. Não há 2 iguais. O que é preciso em 1º lugar é amor,respeito, compreensão, saber dar espaço, saber ceder, compreender e aceitar as diferenças. e depois muito carinho, humor e brincadeira 8daquela que vocês estão a pensar e da outra).tem que haver trabalho e algum dinheiro porque casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão. Se um/a adulto ainda liga a essas coisas que vem nas revistas é um imbecil. É a mesma coisa quando falam de sexo.Ridículo. o pior é quando são jovenzinhas ainda em formação que acreditam em tudo que leem. aí devem estar os pais atentos.
Aí em casa não há lenços de papel? Humor pelos vistos há. Felicidades.